Destaque

Morfologia portuguesa

Este é o resumo do post.

Anúncios

bola letrasComeçaremos nossos estudos tentando assimilar alguns conceitos básicos em relação à morfologia. Temos que saber, antes de mais nada, quais as tarefas da morfologia e quais as unidades da língua que pretendemos descrever. Assim diz nosso querido mestre, dr. José Lemos Monteiro, autor de “Morfologia Portuguesa” 4ª edição (2001) revista e ampliada. Continue Lendo “Morfologia portuguesa”

SINTAXE: NOÇÕES GERAIS

Entenda sobre o que trata a SINTAXEpoesia é visual

  1. O que é oração?
    R. Podemos inferir que a oração é a unidade do discurso, marcada entre duas pausas, a princípio.
    A oração constitui a menor unidade de sentido do discurso e encerra um propósito definido. Para tanto, faz uso dos elementos de que a língua dispõe de acordo com determinados modelos convencionais de estruturação oracional. Os referidos modelos convencionais nem sempre coincidem de idioma para idioma e vêm a formar o sistema sintático característico desse mesmo idioma ou de um grupo de idiomas. 

Continue Lendo “SINTAXE: NOÇÕES GERAIS”

Concordância Verbal -Obs gerais

Conceitos e regras mais importantes

1. concordância verbal é a harmonização do verbo com o seu sujeito, o que se dá em número (singular ou plural) e pessoa (primeira, segunda ou terceira).

2. Nesses casos, o verbo (denominado palavra regida ou subordinada) acomoda-se à flexão do sujeito (denominado palavra regente ou subordinante). Continue Lendo “Concordância Verbal -Obs gerais”

LÍNGUA fala

20170808_102429.jpgLÍNGUAfala é o site/blog que estrutura-se com a finalidade de fomentar  conhecimentos inerentes à Língua Portuguesa a todos que queiram saber, estudar e saber  mais e mais sobre a última flor do lácio.

“Última flor do lácio,
inculta e bela,
És, a um tempo,
Esplendor e sepultura…
[…]
Bilac, Olavo.

Neste instrumento midiático há produções e reproduções de conteúdos elaborados por profissionais linguísticos, filológos, professores e também estudantes que buscam melhor entendimento sobre as formas normativas da Língua Portuguesa.

A todos um ótimo aproveitamento de estudos.

 

Concordância Nominal

É a relação que se estabelece entre o substantivo e as palavras a ele vinculadas (artigo, adjetivo, numeral e pronome). Observe os principais problemas.

PALAVRAS QUE GERAM DÚVIDAS
SÃO ADJETIVOS E CONCORDAM NORMALMENTE

a) anexo: As notas serão enviadas anexas.
b) apenso: Apenas, remeteremos as exigências.
c) incluso: Os objetos não poderão ir inclusos.
d) leso: Aquilo não foi um crime de lesa-pátria, mas sim de leso-continente.
e) quite: Você está quite conosco, mas eles ainda não estão quites. Continue Lendo “Concordância Nominal”

Morfe e morfema

A morfologia estuda a forma ou estrutura interna das palavras. A estrutura é constituída de elementos associados e uma das tarefas será a de identificá-los. Eles constituem as menores unidades formais dotadas de significado e, por isso, se denominam morfemas.

Em princípio, todo morfema se compõe de um ou vários fonemas, e destes difere, fundamentalmente, pelo fato de apresentarem significado (Gleason Jr., 1978). Como é fácil de perceber, isoladamente os /fonemas/ nada significam. Se pronunciamos /p/ ou/t/, ninguém associa ao som emitido nenhuma ideia. Mas, de modo oposto, em geral só existe o morfema quando a unidade mínima apresenta um significado. É o que basicamente afirmam as seguintes definições: Continue Lendo “Morfe e morfema”

Palavra e vocábulo II

Com base na distinção palavra x vocábulo, vejamos:

Reservamos o termo palavra somente para os vocábulos que apresentam significado lexical. Concluímos, então: ‘Toda palavra é vocábulo, mas nem todo vocábulo é palavra‘.

Os vocábulos que não são palavras, como as preposições e conjunções, denominam-se instrumentos gramaticais. São, na terminologia de Câmara Jr. (1970), formas dependentes (pois não funcionam isoladamente num enunciado) ao contrário das palavras, que normalmente são formas livres (nomes, verbos, pronomes) e, como tais, podem existir sozinhas num enunciado. Continue Lendo “Palavra e vocábulo II”